“Imperativo da hospitalidade” foi tema da aula magna do programa de pós-graduação em Turismo da EACH/USP

Postado em 10 de abril de 2018

Aconteceu na última segunda-feira, na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (ALESP), a quinta edição da Aula Magna do Programa de Pós-graduação em Turismo da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo (EACH/USP). Josemar de Campos Maciel, professor da Universidade Católica Dom Bosco (MS), proferiu a palestra sobre “O Lugar da Hospitalidade numa Reflexão Crítica do Desenvolvimento”, e Alfredo Gimenes, diretor-executivo da Confederação Nacional do Turismo (CNTUR), foi o debatedor do tema.

O professor Josemar argumentou que se a hospitalidade não se tornar o imperativo das relações humanas e sociais, o planeta está inexoravelmente ameaçado pela deterioração. “Quem pensa o desenvolvimento?”, questionou. Para ele, historicamente, o desenvolvimento pensado por quem tem mais poder, mostrou-se inviável. A perspectiva da convivência humana será animadora se houver reconhecimento cultural das etnias, tolerância, superação das rejeições e acolhimento das diferenças. A ética, a harmonia e o equilíbrio são construídos nas relações que constituem as identidades culturais e a cidadania, no sentido de negociação dos interesses coletivos do desenvolvimento.

O debatedor Alfredo Gimenes enfatizou a contextualização do turismo nas análises do palestrante, instigando a pensar na construção da hospitalidade a partir das relações com as nossas realidades. A essência da humanização é a capacidade de não negar a nossa cultura e, nesse sentido, no turismo, prioriza-se aquele que acolhe. Gimenes propõe que se consolide o discurso de que “estamos oferecendo experiências, não, simplesmente, vendendo turismo”.

Na relação de encontro para o desenvolvimento do turismo, a estratégia é a criatividade, no sentido de que os estudos, como o conteúdo apresentado na palestra do professor Josemar de Campos Maciel, devem ser efetivamente aplicados. Como exemplo de realidade, Gimenes destacou a expansão do turismo religioso, na região do Vale do Paraíba do Estado de São Paulo, que representa oportunidades de desenvolvimento econômico e desafios da gestão dos impactos sobre a própria hospitalidade.

Além de marcar as atividades de pós-graduação na área, para os professores, Edegar Luis Tomazzoni, coordenador do programa de pós-graduação em Turismo da EACH, e Alexandre Panosso Netto, diretor-científico da Associação Nacional de Pesquisa em Turismo (ANPTUR) e vice-coordenador do programa, a aula magna representou um avanço na integração da universidade com as instituições turísticas do estado e do país.

Email this to someoneShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPrint this pagePin on PinterestShare on Tumblr